Artigos & Notícias

Jogos Rio 2016


A crise no basquete feminino e o histórico de vitórias

O recente pedido de dispensa das atletas Adrianinha, Tainá, Tatiane Pacheco, Gilmara, Joice, Jaqueline e Tássia, da seleção brasileira de basquete feminino revela a falta de profissionalismo dos que dirigem o basquetebol nacional. Exato no histórico ano de Olimpíadas aqui no país, divergências entre atletas, treinadores, clubes, federações e a Confederação Brasileira de Basquetebol deixa evidenciado que interesses menores se sobrepõem aos interesses do esporte nacional. A crise é o estopim de fatos e discórdias que vêm se formando já faz tempo.


A seleção se apresentou esta semana com novas convocadas para suprir a ausência de jogadores importantes. A equipe vai participar do Aquece Rio, evento-teste na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico da Barra, entre 15 a 17 de janeiro. As adversárias são Venezuela (15), Argentina (16) e Austrália (17).


A meta do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e do Ministério do Esporte é colocar o País entre as 10 potências olímpicas do planeta. O basquete feminino não está na conta das medalhas possíveis. Mas não era assim que acontecia, até o ano 2000, com a “geração de ouro” do basquete feminino. Entre os anos 1994 e 2000, a seleção feminina conquistou o título Mundial (1994); a medalha de Prata nas Olimpíadas de Atlanta (1996); e a medalha de bronze nas Olimpíadas de Sidney (2000)


Ranking


O Brasil é o 7º. Colocado no ranking da Federação Internacional de Basquetebol (FIBA). O líder são os Estados Unidos, seguido de Austrália e Espanha.


Desde 1953, quando foi realizado o primeiro Campeonato Mundial, apenas quatro seleções conquistaram títulos, EUA, União Soviética/Rússia, Brasil e Austrália. Sendo as brasileiras as primeiras a quebrar a hegemonia das americanas e soviéticas, quando conquistaram o título de 1994, em Sidney, Austrália. Em 2006, a Austrália entrou para o seleto clube, conquistando o ouro durante o Mundial realizado em São Paulo. Nos dois recentes mundiais o Brasil ficou em 9º. lugar, na República Tcheca, 2010; e em 11º. na Turquia, 2014.


A pergunta que todos devem fazer aos gestores do esporte nacional é: o que ocorreu nesse período para a decadência da modalidade, mesmo com o incremento significativo de recursos para a Confederação Brasileira de Basquetebol (CBB)?


Resumo das conquistas brasileiras:


Jogos Olímpicos

PRATA Atlanta, Estados Unidos em 1996

BRONZE Sidney, Austrália em 2000

Campeonato Mundial

OURO Sidney, Austrália em 1994

BRONZE Cali, Colômbia em 1971

Jogos Pan-Americanos

OURO Canadá 1967; Colômbia 1971 e Cuba 1991

PRATA EUA 1959; Brasil 1963; EUA 1987 e Brasil 2007

BRONZE México 1955; Venezuela 1983 e República Dominicana 2003

XX

Anúncio 1


Destaques
Arquivo
Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
    • Twitter Social Icon