top of page

e-Sports é entretenimento ou esporte?

Argumentos sobre o tema do momento


Homem diante da tela do computador jogando videogame
Polêmica sobre o e-Sports surgiu depois da ministra Ana Moser classificá-lo com entretenimento


Em primeiro lugar, é preciso dizer que esporte e entretenimento coexistem.


Então, se a gente pensar numa pelada de futebol na praia ou em qualquer campo de várzea, nós temos aí o esporte praticado na forma de entretenimento. A pelada não vai atrair grande público, nem gerar renda, e as regras são ditadas pelos próprios peladeiros. A esta prática a gente pode chamar também de lazer.


Há outros exemplos que cabem nesta discussão. O skate é um deles. É entretenimento ou esporte? E o surfe? A realidade é que a grande maioria dos seus praticantes o fazem como entretenimento ou lazer.


No entanto, em 2022, o Comitê Olímpico Internacional (COI) incluiu o skate, surfe e escalada esportiva no programa inicial de esportes das Olimpíadas de Los Angeles, em 2028. As três modalidades passam a ser definitivamente consideradas esporte, assim como as tradicionais, atletismo, natação, voleibol etc.


Some-se a esses aspectos normativos ou regulamentares, a gente pode adentrar na discussão do esporte em termos conceituais. As três modalidades citadas passaram de um simples entretenimento a serem realizadas também na forma de competição, com dimensão municipal, estadual, nacional e internacional, justificada, especialmente, pelo número de praticantes e a paixão que desperta nos jovens.


A prática dessas modalidades, tidas como entretenimento em certo período para as pessoas, pode também tornar-se um compromisso, quando passa a disputar competições. Isso significa incluir horas de treino na rotina diária, cientificamente preparados, estruturados com uma equipe profissional para dar todo o suporte, seja na preparação técnica, na física, na orientação nutricional e outros apoios visando o maior desempenho.


Este debate nos dá a oportunidade de esclarecer vários outros aspectos, por vezes negligenciados, sobre o entendimento do que vem a ser o esporte numa visão atual, que vou tentar aqui. Devemos considerar o seguinte: primeiro, o que significa praticar determinada modalidade, tanto no entretenimento (lazer) ou na forma de competição (alto rendimento)?


As três dimensões do esporte


Qualquer prática dentro deste contexto do movimento, do jogo ou do esporte envolve três dimensões do humano: a dimensão do movimento, em si, que pode ser chamada também de cinestésica, a cognitiva e a socioafetiva ou socioemocional.


A dimensão cinestésica é a mais evidente, na maioria dos esportes. No entanto, há modalidades que envolvem a participação de grandes grupos musculares e muitas articulações, por exemplo, no remo. Outros esportes, ao contrário, exigem menor participação de segmentos corporais, como o arco e flecha e tiro. Esse argumento é útil para descartar qualquer consideração a respeito da menor exigência corporal quando a pessoa está jogando no e-Sports.

É importante dizer que todo o movimento nesses vários tipos de atividades esportivas não são automatizados ou reflexos. São realizados com mais ou menos habilidades a partir da atividade neural, nas regiões do cérebro. Isso inclui a participação nos jogos eletrônicos.


A atividade neural para a realização do movimento envolve os chamados mecanismos ou funções cognitivas como percepção, atenção, memória, conhecimento e tomada de decisão. Isso quer dizer que no e-Sports estes mecanismos atuam constantemente enviando sinais efetores para a realização dos movimentos das mãos do jogador e, desta forma, comandar o joystick e solucionar os problemas e desafios do jogo.


Embora argumente-se sobre a não existência da imprevisibilidade nos games, a má percepção da situação do jogo (ou interpretação) pode induzir a erros, que leva a novas situações. Ou seja, ele precisa ser pensado e repensado constantemente.


O bom desempenho, então, depende do conhecimento do jogador, da capacidade de perceber as várias situações (e interpretá-las), da atenção e concentração, da memória (de passagens anteriores por situações semelhantes, que podemos chamar de aprendizagem) e da tomada de decisão.


Esse fenômeno neurobiológico está presente em todas as atividades humanas que envolvem o movimento dentro dessa cultura esportiva (no lazer ou no alto rendimento).


É possível, baseado nas informações anteriores, fazer paralelos entre o e-Sports e outras modalidades consideradas esporte. O hipismo é uma modalidade interessante para ser analisada. As rédeas e o cavalo assumem a função do joystick e do computador como instrumento (ou equipamento).


Neste caso, o cavaleiro precisa reconhecer a tarefa (obstáculo), perceber a ação do animal, interpretar a situação e manipular as rédeas no momento adequado para que o cavalo responda adequadamente.


O futuro chegou


O atual debate precisa ser superado e que o e-Sports deva ser aceito como modalidade esportiva. Entre os motivos está o reconhecimento internacional como esporte, que está na própria denominação. Considere-se também a evolução tecnológica que permitiu essa interação entre o homem e a máquina, de forma a atender também à nossa cultura. Se ainda existirem dúvidas, imaginem o esporte automobilismo.


123 visualizações

Comments


Destaques

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
    bottom of page